Utilizador Discussão:ValJor/2014/05

Discussões ativas


Interwiki quebrado

Boa tarde. Você mencionou que eu usei um interwiki quebrado e que tenho que eliminar, mas eu não sei o que é isso. Ana Gauna (Discussão) 17h26min de 1 de maio de 2014 (UTC)

Vinte anos da morte de Ayrton Senna da Silva

Senhor Valdir Jorge, quero-o avisar que hoje se completam 20 anos da morte do piloto de Fórmula Um, Ayrton Senna da Silva, noticiada pelo então repórter da Rede Globo, Roberto Cabrini, em 1 de maio de 1994 (domingo), às 13h40min de Brasília (18h40min de Bolonha, no Horário de Verão de lá). Ele obteve 41 vitórias em sua carreira. Em cada vitória dele tocava-se o "Tema da Vitória", um ré maior composto pelo Roupa Nova. Não é à toa que a antiga Rodovia dos Trabalhadores passou a chamar-se "Rodovia Ayrton Senna". Agradeço-lhe de todo o meu coração! Desejo-lhe um Próspero Feriado de Dia Internacional do Trabalho de 2014! Obrigado! 1973 Antônio Marcos O Homem de Nazaré 20h15min de 1 de maio de 2014 (UTC)

Proparoxítonas eventuais - conclusões

Pronto! Está criada a Categoria:Proparoxítona aparente (Português). O verbete ideário é o primeiro a ser catalogado nela. Por favor, dêem uma olhada tanto na nova categoria quanto nesse verbete e modifiquem o que eu possa ter colocado errado.

--Valdir Jorge fala! Canadá 11:55, 17 Novembro 2006 (UTC)

Pelo tempo (8 anos) tenho poucas esperanças de que este assunto irá vingar. Mas, vamos a ele de qualquer forma.

A categoria "proparoxítona aparente" cujo verbete "ideário" seria o primeiro a ser nela catalogado, não me parece uma idéia feliz.

E tento explicar o porquê.

Ideário é palavra paroxítona terminada em ditongo crescente: I - de - á - rio é a divisão silábica desta palavra.

O problema maior, ao meu sentir é justamente a definição de ditongo. Em todos os compêndios, em todos os autores ilustres vemos que ditongo é a reunião de vogal e semivogal ("i" ou "u") numa mesma sílaba. Ideário, Mário, armário.

Mas, e "páreo"? E "área"? E "marmórea"?

Seriam proparoxítonas? Não, todos os dicionários e filólogos catalogam-nas como paroxítonas: pá-reo; á-rea; mar-mó-rea.

Temos duas vogais (e não semivogais) nas mesmas sílabas, sem que se perca a natureza paroxítona dessas palavras.

Ora, então será muito mais coerente revisitar o conceito de ditongo: "dá-se o ditongo à junção de duas vogais ou semivogais na mesma sílaba".

É necessário que se frise a idéia de que é possível haver ditongos também com vogais e não exclusivamente com semivogais.

Do contrário aquelas palavras seriam proparoxítonas. E, embora o acento seria de rigor em qualquer caso, não o é na correta pronúncia dos respectivos verbetes. Ninguém diz 'á-re-a', nem "pá-re-o, nem 'mar-mó-re-a. Não há hiato nessas pronúncias.

Em não havendo hiato há uma única sílaba. Paroxítonas as palavras, terminadas em ditongo. Ditongo formados com vogais exclusivamente.

Razão pela qual faz-se necessária a mudança da conceituação do quê seja ditongo.

o comentário precedente não foi assinado por 177.180.93.19 (discussão • contrib.)

Re:Minha batalha pessoal contra os verbetes órfãos

Claro, Valdir! Pode deixar que estou relacionando todas as entradas em cocama que crio aqui para incluir na seção de tradução das palavras correspondentes em português. Ainda não coloquei porque a lista está sendo checada pela pesquisadora Chandra Viegas, do Laboratório de Línguas Indígenas da UnB. Nesta semana, por exemplo, estamos conferindo puka, que ao que parece, tem dois significados documentados em duas pesquisas diferentes. Mas vou começar a incluir as que já foram confirmadas. CasteloBrancodiskuto 12h38min de 27 de maio de 2014 (UTC)

Regressar à página do utilizador "ValJor/2014/05".