Diferenças entre edições de "Utilizador Discussão:Malafaya"

1 280 bytes adicionados ,  16h26min de 19 de agosto de 2009
→‎Pois é...: nova seção
(→‎Pois é...: nova seção)
Olá malafaya. Em alguns artigos (semi-vazios) você está colocando tags de reciclar, etc. Não é melhor deixar esses artigos nas páginas sem categoria? Digo isso porque ficando lá, ou eu ou o Valdir (ou outro) logo tiramos. Ficando nessas categorias de tags, só Deus sabe. --[[Usuário:Jesielt|<font face="Verdana" size="2">'''Jesiel'''</font>]]<sub>[[Usuário discussão:Jesielt|<font face="Verdana" size="2">通信</font>]]</sub> 16h08min de 18 de agosto de 2009 (UTC)
:Pois é. Eu inicialmente deixava. Depois decidi marcar, como verbetes em que falta quase tudo. Não sei... Eu deixo então, se for melhor. [[Usuário:Malafaya|Malafaya]] 16h09min de 18 de agosto de 2009 (UTC)
 
== Pois é... ==
 
<br> Primeiro - Como queres que eu dialogue quando primeiro mandas o puto dos calções com os fundilhos rotos bloquear-me? Só por curiosidade, o puto cumpriu os requisitos estabelecidos quando me bloqueou?
;«Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada»
;«Dizer mal de quem os tira dá razão a que se diga mal de quem os põe também.»
;«inclusivamente, já me ofereci para o ajudar com assuntos técnicos relativos a esse assunto»
<br>Não percebo essa do «ajudar com assuntos técnicos», mas tu sabes que eu sei que tu sabes que, bem ou mal, o camonismo foi iniciado em 04 de Setembro de 2007 muito, mas muito antes mesmo, do "fundilhos rotos" aparecer por aqui apadrinhado pela ValJorge e apoiado pela tua pessoa e pelo Cadum. Tu, o Cadum e o ValJorge tiveram dois anos para emendarem os meus "erros" de edição, mas não o fizeram e depois o troll e o vândalo sou eu... Seus amigos da onça!
<br> Em nome da paz neste projecto sugiro duas soluções (soluções técnicas aceitáveis):
* i - a solução que exemplifiquei em '''[[Ítaco]]''' que vocês teimosamente não querem ver;
* ii - eliminar a totalidade dos camonismos que, como estão, não servem para nada em termos de dicionários.
; Um Verão assim não se repete...
15 237

edições