morte: diferenças entre revisões

3 037 bytes adicionados ,  19 de setembro de 2007
sem resumo de edição
(morte cerebral e biológica)
Sem resumo de edição
#[[fim]], [[decadência]];
#[[entidade]] [[imaginária]] que [[ceifar|ceifa]] a [[vida]];
 
 
{{tradini|[[Image:LuisdeCamoes4.jpg|10px]] [[camonismo|Camonismo]] [[Image:Os Lusíadas.jpg|10px]]}}
*** '''x ocorrências n'Os Lusíadas'''
*** rimas n'Os Lusíadas: consorte corte forte sorte
* Se vão da lei da '''Morte''' libertando, - Os Lusíadas I-2-6
* E outros em quem poder não teve a '''morte'''. - Os Lusíadas I-14-8
* Sofrendo '''morte''' injusta e insofríbil, - Os Lusíadas I-65-6
* Que a '''morte''', se pudesse, neste dia, - Os Lusíadas I-70-7
* Pera os guiar à '''morte''' lhe mandava, - Os Lusíadas I-94-7
* De '''morte''' ou cativeiro novos danos, - Os Lusíadas I-97-3
* Aqui o engano e '''morte''' lhe imagina, - Os Lusíadas I-99-5
* Por ir buscar a '''morte''' não cuidada, - Os Lusíadas I-100-4
* Tantas vezes a '''morte''' apercebida! - Os Lusíadas I-106-2
* Vinham a ele e à '''morte''' oferecer-se. - Os Lusíadas III-23-6
* Mas, com se oferecer à dura '''morte''' - Os Lusíadas III-35-5
* Dos fracos satisfaz a fera '''morte''', - Os Lusíadas III-39-4
* Que já na vida a '''morte''' tem bebido, - Os Lusíadas III-40-2
* Da temerosa '''morte''', fica herdeiro - Os Lusíadas III-90-2
* Já perdido ũa vez, que a própria '''morte''', - Os Lusíadas III-101-4
* Deste causa à molesta '''morte''' sua, - Os Lusíadas III-119-3
* Crendo co sangue só da '''morte''' indina - Os Lusíadas III-123-3
* Razões, à '''morte''' crua o persuade. - Os Lusíadas III-124-4
* Que mais que a própria '''morte''' a magoava, - Os Lusíadas III-124-8
* Pois o não tens à '''morte''' escura dela; - Os Lusíadas III-127-6
* A '''morte''' sabes dar com fogo e ferro, - Os Lusíadas III-128-2
* «As filhas do Mondego a '''morte''' escura - Os Lusíadas III-135-1
* Mais ladrões, castigando, à '''morte''' deu, - Os Lusíadas III-137-7
* De outros muitos na '''morte''' acompanhado, - Os Lusíadas IV-5-3
* Em cujo corpo a '''morte''' e o ferro entrava. - Os Lusíadas IV-40-2
* Da '''morte''', da fazenda despendida, - Os Lusíadas IV-43-6
* «Não consentiu a '''morte''' tantos anos - Os Lusíadas IV-50-1
* Deixou antes vencer da '''morte''' a vida; - Os Lusíadas IV-53-2
* Que com '''morte''' de Magno são famosas; - Os Lusíadas IV-62-4
* Aparelhámos a alma pera a '''morte''', - Os Lusíadas IV-86-3
* Que o menor mal de todos seja a morte! - Os Lusíadas V-44-8
* Só por dar aos de Luso triste '''morte''' - Os Lusíadas VI-26-7
* Lhe darão feia infâmia ou morte '''crua'''. - Os Lusíadas VI-45-4
* Doce fazendo a '''morte''' as honras dela!» - Os Lusíadas VI-83-8
* Da '''morte''', que no mar lhe aparelhava - Os Lusíadas VI-94-6
* Que uns aos outros se dão à '''morte''' dura, - Os Lusíadas VII-9-3
* Senão o de seus passados, até '''morte'''. - Os Lusíadas VII-38-4
* Qual Cánace, que à morte se condena, - Os Lusíadas VII-79-7
*
{{tradfim}}
 
 
===Fraseologia===
:[http://www.malthus.com.br/mg.asp?id=44&endp_ch= Tanatologia (...) Tipos de morte]
morte cerebral e morte biológica
 
[[Categoria:Camonismo (Português)]]
 
[[de:morte]]
15 237

edições